como fazer um site Tech With a Pointy Hat Ana Sofia Santana

Como fazer um site: será que tenho que saber programação?

Para quem não entende de programação, só a ideia de fazer um site é um bicho de sete cabeças. Se ultrapassam aquela resistência inicial e começam a pesquisar, a tendência é ainda ficar mais baralhada!

Começam a aparecer siglas estranhas, como HTML, PHP, CSS, MySql, Javascript, Java, Python…. Enfim, a lista parece nunca mais acabar, e cada vez que olhas para o lado, ainda cresce mais!!! E é claro que a tendência é desistir… Afinal de contas, isto de fazer sites é só para quem percebe de programação!

E se eu te dizer que não é preciso perceber de programação, para aprender como fazer um site grátis, ou mesmo para aprender como fazer um site bom e barato?

Aí já te chamava a atenção, certo?

Pois a verdade é que um site é algo que é incontornável de ter nesta era digital. Não há empresa ou negócio que se leve a sério, que não aposte num site. Neste artigo vou um pouco mais a fundo sobre as razões para teres um site hoje. Se ainda não o leste, aconselho-te a ler, pois é mesmo muito importante!

Tipos de sites

Costumo dividir os sites em dois grandes grupos, dependendo da forma como são criados.

  • Sites feitos de raíz;
  • Sites feitos usando um CMS.

Antes de avançar, vamos já esclarecer um conceito que vou usar no resto deste artigo, e que podes não conhecer. Vou-te apresentar os Sistemas de Gerenciamento de Conteúdos, ou CMS – Content Management Systems.

Sistemas de Gerenciamento de Conteúdos (CMS)

Um sistema CMS não é mais do que um software que te permite criar páginas e artigos de forma simples, sem teres que mexer em programação. Existem imensos no mercado, com graus diferentes de complexidade. No fundo, o grande objectivo de um CMS é criar uma experiência para o utilizador que lhe permita criar um site sem grandes conhecimentos de informática.

Sites feitos de raíz

Estes são os sites em que nada está construído, é preciso programar cada página, elaborar cada imagem, cada layout, enfim, tudo! Habitualmente os sites de grandes empresas costumam ser feitos de raíz, pois têm necessidades muito específicas. Para fazer estes sites é necessária uma equipa multidisciplinar, de programadores, designers, especialistas em marketing digital, e são bastante dispendiosos.

Sites feitos usando um sistema CMS

Os sites feitos usando um sistema CMS pode ser bastante complexo, mas também pode ser bastante simples, tudo depende do tipo de informação e funcionalidades que o utilizador pretende que o seu site tenha.

Dependendo do CMS usado, e do site onde é construído, podem ser mais ou menos escaláveis, isto é, podem-se acrescentar mais ou menos funcionalidades.

Este tipo de sites tem também preços muito diferentes, conforme o grau de complexidade do site final. Podem ser feitos de forma gratuita, até se tornarem bastante dispendiosos, se envolverem muita informação, e muitas funcionalidades.

De que são feitos os sites que existem neste momento na internet?

Segundo os dados de 25 de outubro 2020, do site W3Techs – Web Technology Surveys

60,9% dos Sites na Internet usam Sistemas de Gerenciamento de Conteúdos (CMS), facilitando imenso a vida daqueles que querem um site, mas não entendem de programação. E este número continua a aumentar!

Desses 60,9%, 63,6% utilizam WordPress como Sistema de Gerenciamento de Conteúdos, tornando este software no mais usado em todo o universo de sites na internet. Todos os outros sistemas de CMS têm uma percentagem de utilização de menos de 5% de todos os sites que usam este tipo de tecnologias.

como fazer um site quota sites em wordpress Tech With a Pointy Hat Ana Sofia Santana

Porque recomendo WordPress

Chegando ao cerne da questão: porque recomendo WordPress, como plataforma de construção do teu site? 

Plataforma gratuita OpenSource

Já falei um pouco aqui sobre o que quer dizer esta coisa do software aberto, mas na prática, o que isso permite é existirem milhares de pessoas pelo mundo inteiro, que activamente trabalham no seu dia-a-dia para corrigir erros, criar novas funcionalidades, tirar dúvidas, etc. A comunidade do WordPress é super activa, e a probabilidade de encontrares respostas para todos os teus problemas é enorme, se não for em artigos ou livros, nos inúmeros grupos de utilizadores que existem, há sempre quem consiga responder a tudo o que precisarmos. Não se consegue este grau de colaboração numa plataforma fechada, e por isso considero esta uma das maiores vantagens do WordPress.

Fácil de utilizar

Se quiseres um site simples, com um blog, algumas páginas e pouco mais, o WordPress é extremamente fácil de utilizar. Basta que conheças o funcionamento geral do software, e já vais saber criar qualquer coisa dentro dele, sem ter que saber (ou escrever) uma linha de código.

Extremamente versátil

Apesar do que escrevi acima, e o software ser, de facto, fácil de utilizar, podemos adicionar complexidade até onde quisermos! Podemos criar todas as funcionalidades que quisermos (ou utilizar funcionalidades já criadas por outras pessoas), tais como lojas, formulários de contatos, plataformas de cursos, ligação a sistemas de pagamentos, enfim, tudo o que precisares para o teu site funcionar da forma como queres.

Responsivo

Este ponto vai depender do tema WordPress que utilizares, mas se usares um tema recente e com boas recomendações (neste artigo falo um pouco sobre como escolher temas), a probabilidade de teres um site responsivo de forma muito rápida e simples é grande. Mas convém sempre confirmar antes de utilizares o tema, se realmente é responsivo!

Fácil de customizar

O software do WordPress permite customização dos temas, com visualização dos resultados em tempo real. Alterações de cores, fontes, menús, localização de vários componentes das páginas. Uma série de customizações que irão tornar o teu site mais personalizado e de acordo com aquilo que idealizaste.

É também possível fazer customizações mais elaboradas, utilizando linhas de código, mas para o utilizador que não entende de programação, as opções visuais estão presentes e funcionam!

Parceiro do Google

O WordPress permite criar sites que facilmente podemos configurar para se tornarem parceiros do Google. O que quer isto dizer? Basicamente, criar sites que sejam amigos dos algoritmos dos motores de pesquisa, e que permitam que as suas páginas apareçam nos resultados!

Seguro

Este é um tema que causa sempre alguma discórdia. Tempos houve em que o WordPress era considerado uma plataforma insegura, com muitos ataques. Nos dias que correm a grande maioria dos ataques realizados a sites em WordPress devem-se, principalmente, às seguintes razões:

  • Software WordPress desactualizado (as versões mais inseguras são até à 4, estamos neste momento na 5.5!) Vê aqui os dados do WPScan;
  • Temas ou Plugins desactualizados, ou que não são melhorados há muito tempo;
  • Passwords de administração inseguras.
como fazer um site Tech With a Pointy Hat Ana Sofia Santana

Como vês, as questões de insegurança do WordPress ultrapassam-se facilmente com uma política de manutenção do site, e de gestão de passwords seguras (e isto não tem nada a ver com o WordPress!).

Conclusão

Fazer um site pode ser tão complexo ou tão simples como tu queiras, dependendo apenas dos teus conhecimentos, e do teu orçamento. Se o orçamento for uma questão, existe a opção de fazer o site em WordPress no wordpress.com, como referi neste artigo. Mas com pouco mais investimento, podes ficar com algo muito mais duradouro, e principalmente, escalável, e que pode crescer à medida que o teu negócio também cresce!

Um website de sucesso não se consegue com planeamentos “em cima do joelho”. São muitas peças que têm que ser montadas, em que a parte visual é apenas uma (e não é a mais importante).

Nesta checklist mostro-te quais os elementos em que tens que pensar, ainda antes de pensar na tecnologia e no design to teu site, e que vão definir o sucesso do teu site, e do teu negócio!

Recebe esta checklist website sem stress, updates, ofertas e informações relevantes. Respeitamos a tua privacidade.

2 pensamentos acerca de “Como fazer um site: será que tenho que saber programação?”

  1. Pingback: Como otimizar as imagens para o site em 3 passos

  2. Pingback: É difícil criar um site ⋆ Tech With a Pointy Hat

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.